Ex-diretor do Altos põe clube na Justiça e cobra cerca de R$ 200 mil. Diretoria não reconhece débito

28/05/2020

 A parceria dos campos virou uma questão trabalhista. O ex-diretor de futebol do Altos, Ricardo Pereira, revelou ter acionado o antigo clube na Justiça para cobrá-lo cerca de R$ 200 mil referentes, segundo ele, ao não pagamento de rescisão contratual de quando dirigiu o time da Cidade da Manga. Presidente do Jacaré, Warton Lacerda não reconheceu a dívida, mas garantiu que o clube vai efetuar o pagamento dos débitos que foram determinados pelo juiz. A primeira audiência entre clube e ex-funcionário estava prevista para acontecer no dia 12 de maio, em Teresina, mas foi suspensa por conta da pandemia do coronavírus.

Ricardo Pereira atuou como diretor executivo de futebol do Altos nos anos de 2017 e 2018. A falta de acordo para renovação de contrato dele para a temporada seguinte culminou com o fim do contrato.

Dois anos depois, o ex-dirigente alviverde cobra exatos R$ 223.895,78 referentes ao suposto não pagamento de férias, 13º salário, multa referente aos dois anos de trabalho, FGTS e INSS. O processo corre na 6ª Vara do Trabalho de Teresina. O Altos informou que não foi notificado sobre a dívida.

Eles têm que ter mais responsabilidade. Nós somos profissionais de futebol, saímos da nossa casa, e, pelo menos eu, fiz um trabalho no Altos. O Altos era um clube semiamador, conquistamos dois títulos, teve participações em campeonatos nacionais que trouxeram renda, participações financeiras, classificações em Copa do Brasil. Foram muitos recursos no Altos. Nós, como profissionais, nos sentimos desrespeitados. Um presidente como esse, na situação de presidente, é pouco caso - argumentou Ricardo.

Contratado para ser uma ponte entre time e diretoria, Ricardo Pereira contribuiu ainda na montagem dos elencos que deram ao Altos dois títulos estaduais consecutivos e também se classificaram para a 2ª fase da Copa do Brasil em duas ocasiões. O ex-diretor anunciou sua saída, em outubro de 2018, declarando ter deixado um legado no Jacaré.

- O que me deixa triste é que eu mandei mensagem ao Warton, e ele dizia que ia resolver, foi empurrando com a barriga e não me atendeu mais. Eu morei com ele, teve consideração de ambas as partes e, hoje, estou sendo tratado dessa forma. Cheguei ao extremo pelo tempo que passei para reivindicar a esse dinheiro. Não queria chegar a isso, mas vi que não tive êxito. Clube já recebeu várias cotas e, se quisesse me pagar, mas nunca me ajudou em nada - completou.

Procurado pelo Globoesporte.com, Warton Lacerda não reconheceu a dívida trabalhista, mas garantiu que entrará em acordo com o ex-dirigente alviverde caso o clube seja obrigado a pagá-lo.

- O Altos não foi notificado ainda. Quando for, e se o Altos tiver algo que deva, com certeza irá sentar e negociar. Sempre fizemos o que deu para fazer, mas se ele foi à Justiça e lá for comprovado o débito, com certeza o clube vai buscar meio de resolver - argumentou o presidente.

Mesmo sem Ricardo Pereira à frente do time, o Altos conseguiu se manter na elite do futebol local. O Jacaré foi vice-campeão ano passado e, nesta temporada, ocupa a liderança do Campeonato Piauiense, que foi paralisado pela pandemia. Além do estadual, o Alviverde disputa a Série D do Campeonato Brasileiro em 2020.

Fonte: G E PIAUÍ