Bebê é devorado por animais após ser enterrado vivo pela própria mãe

23/03/2019

CLIQUE O PLAY ABAIXO E OUÇA A CELESTIAL WEB FM

Uma mulher identificada como Raimunda Nonata Laurinda da Silveira, 24 anos, foi presa na noite desta quarta-feira (20) suspeita de enterrar viva a própria filha recém-nascida em uma mata na zona rural da cidade de Camocim, litoral do Ceará.

Raimunda Nonata tentou esconder a gravidez por alguns motivos, no entanto, a família já percebia sua forma física e desconfiavam de sua gravidez. Após dar a luz, sem nenhum tipo de assistência médica e sem ninguém por perto, a mãe, segundo informações policiais, enterrou a criança ainda viva em uma cova rasa.

De acordo com o auxiliar de perícia, Antônio Nogueira, "a criança nasceu com nove meses completos. Ao encaminhar o corpo para exames, o delegado plantonista de Jijoca de Jericoacoara, para onde o caso foi encaminhado, nos informou que, em depoimento, a mãe declarou que havia tomado chá de boldo como abortivo. 

Ao sentir fortes dores, ela foi para o quintal de casa, teve a criança, que nasceu com vida, e logo foi enterrada. Ao entrar em casa, o irmão viu a jovem com sangue na roupa, achou estranho, foi ao quintal e descobriu o corpo desenterrado por animais e parcialmente devorado", disse o auxiliar de perícia.


Algum tempo depois, populares escutaram um choro de uma criança. Quando conseguiram encontra-la, já estava sem vida, sendo devorada por porcos. Em seguida, a mãe foi vista toda ensanguentada.

Apesar de ser mãe de duas filhas, a acusada escondia a terceira gravidez. A Polícia Militar foi acionada para o caso e prendeu a mãe da criança. O caso chocou não só a população do município de Camocim mais também de todo o Estado do Ceará.

Fonte: Camocim 24hs

PUBLICIDADE