Após assassinar a namorada, homem invade igreja evangélica e mata mais três pessoas

22/05/2019

Um homem esfaqueou e assassinou a ex-namorada na noite desta terça-feira (21) em Paracatu, região Noroeste de MG, e depois invadiu uma igreja evangélica na mesma cidade e matou mais três pessoas a tiros.

De acordo com a Polícia Militar (PM), depois de matar Heloísa Vieira Andrade, de 59 anos, o autor Rudson Aragão Guimarães, 39 anos, atirou contra as fiéis Rosangela Albernaz, 50 anos, e Marilene Marins de Melo Neves, idade não informada, e Antônio Rama, 67 anos, pai do pastor.

Já o pastor Evandro Rama, 38 anos, que celebrava o culto, foi perseguido, conseguiu pular o muro no fundo da igreja e fraturou o pé. Testemunhas disseram para a Polícia Civil que ele sofria ameaças de Rudson, o que será apurado.

No início da investigação, a PM havia informado que o alvo seria o pastor e que ele era casado com a ex-namorada do assassino, mas a informação foi retificada. Ainda não se sabe o envolvimento do atirador com as pessoas na igreja.

Segundo o tenente-coronel Luiz Magalhães, comandante da PM, o autor estava na casa da família dele, no Bairro Bela Vista, juntamente com a ex-companheira, a mãe e a irmã. No local esfaqueou a Heloísa Vieira e seguiu para a igreja. "Ele chegou alucinado e com falas desconexas, procurando pelo pastor e dizendo que iria matar ele", afirmou.

Pelo menos 20 pessoas participavam de uma reunião na Igreja Batista Shalom. Imagens de uma câmera de segurança registraram o momento em que o homem chegou, por volta das 18h47. Ele arrancou o portão e invadiu o local. O pastor Evandro Rama e outros fieis conseguiram fugir pelos fundos.

Contudo, as três vítimas foram atingidas com tiros na cabeça. Uma equipe da polícia passava pelo local e ouviu os disparos. "Neste momento, os militares entraram e dispararam um tiro contra o autor. Foi constatado que ele ainda tinha seis munições intactas e pelo cenário ainda faria uso das munições contra outras pessoas", falou o comandante.

O atirador foi socorrido para o Hospital Municipal de Paracatu e passou por cirurgia. Segundo informou a administração, o estado de saúde é grave.

Motivação será investigada

O delegado Marcelo Alexandre dos Santos disse que ainda está apurando os fatos.

"Ainda é prematuro dizer que se trata de crime passional. É preciso ouvir mais pessoas porque é temerário no momento dizer que é crime passional. As pessoas que estavam no local disseram que o pastor vinha sendo ameaçado por ele há algum tempo. Nossa linha de investigação é descobrir a motivação e porquê ele tinha essa desavenças, fazia essas ameaças contra o pastor", disse Marcelo.

A PM informou que o assassino foi até a casa da mãe dele, no Bairro Bela Vista, onde estava a ex-namorada, Heloísa. Armado com um canivete, ele surpreendeu a vítima com um golpe no pescoço. A mulher foi socorrida, mas não resistiu.

Em seguida, ele pulou a grade de proteção da Igreja Batista Shalom, que fica no mesmo bairro, e atacou os fiéis que participavam de um culto.

Os policiais chegaram à igreja pouco depois de Heloísa ser esfaqueada. No local, já haviam sido mortos duas pessoas, uma delas com um tiro na cabeça. Outro refém foi feito e, segundo a PM, o assassino disparou assim que viu os policiais e foi baleado. "Não houve tempo sequer para negociar", disse uma policial.

Segundo o delegado Marcelo Alexandre dos Santos, não é possível dizer ainda a relação que o assassino tinha com as outras vítimas. "Eu acredito que eles se conheciam só da igreja mesmo, mas a partir do momento que ele ingressou na igreja , o pastor fugiu do local. Ele permaneceu dentro da igreja e, pelas imagens que nós tivemos acesso, ele estava nervoso. Não dá saber ainda porque ele agiu dessa forma."

Igreja em Paracatu

O assassino foi levado para um hospital e permanece internado em estado grave. A PM informou que evitou que um grupo de pessoas invadisse o prédio para matar o homem.

Fonte: G 1

Clique o botão abaixo e veja vídeos e assista entrevistas