A OAB lançou uma nota de repúdio a prisão de Palestino, preso por pichação e apologia as drogas, ela diz que a prisão é um ataque à dignidade da pessoa humana.

12/02/2017

A OAB Piauí, através da Comissões de Direitos Humanos  divulgou nota onde repudia a prisão de Samuel Ali Silva Haroon, de 20 anos, conhecido como "Palestino". Preso no último dia 10,  por pichação e apologia ao uso de drogas. 

Na nota, a OAB afirma que a prisão foi desproporcional, fruto de "racismo institucionalizado" e que a apresentação do jovem pela polícia foi abuso de autoridade. O rapaz ganhou notoriedade antes mesmo de ter seu rosto conhecido, sendo atribuídas a ele pichações por toda a cidade com o nome que utiliza, 'Palestino'.

A nota foi assinada pelas Comissões de Direitos Humanos, de Direitos Difusos e Coletivos e da Verdade da Escravidão Negra da Ordem dos Advogados do Brasil - Secção do Piauí.

As comissões questionam a forma como a sua prisão foi divulgada pelas autoridades policiais, afirmando que Samuel foi "coagido a grafitar o nome da delegacia e posar para fotografia juntamente com o delegado, ficando demonstrado o escárnio e o abuso de poder policial".

O motivo da prisão, apologia ao uso de drogas, foi questionado, já que em sua residência não foi encontrado nenhum entorpecente. Para a OAB, a prisão foi motivada por um "racismo institucionalidado".

Por fim, as comissões afirmam que a ação caracteriza um ataque à dignidade da pessoa humana.

Palestino é um pinchador conhecido por sair pichando toda Teresina com o nome de 'Palestino, ele foi preso na manhã de sexta-feira (10), dentro da própria casa, localizada na zona Norte de Teresina                                                                                                                                                                            "De acordo com o delegado Tales Gomes, da Delegacia de Entorpecentes, Palestino também fazia apologia do uso de maconha por meio das redes sociais.

Leia abaixo a nota da OAB

Algumas pinchações de Palestino