Tragédia que deixa o Brasil abalado,avião com equipe da Chapecoense cai na Colômbia e deixa mais de 70 mortos 

29/11/2016

O avião com a equipe da Chapecoense sofreu uma queda perto do aeroporto internacional de Medellín na madrugada desta terça-feira. O prefeito Frederico Gutierrez disse que o acidente deixou 75 mortos. Num primeiro momento foi divulgado que havia apenas cinco sobreviventes e, horas após a tragédia, autoridades colombianas anunciaram ter encontrado mais uma pessoa: o zagueiro Neto. Foram socorridos dois tripulantes - um deles morreu no hospital -, quatro jogadores e um jornalista.

"Foram resgatadas seis pessoas com vida, mas infelizmente uma faleceu. O restante dos ocupantes lamentavelmente faleceu. O balanço trágico é de 76 vítimas fatais", disse o general José Gerardo Acevedo, comandante regional da polícia.

Os sobreviventes são Alan Ruschel, Ximena Suárez Otterburg, Marcos Danilo Padilha, Jackson Follmann e Rafael Henzel.

A aeronave da companhia Lamia, com 72 pessoas a bordo e nove tripulantes, perdeu contato com a torre de controle ao sobrevoar o município de La Ceja, perto de Medellín, no noroeste da Colômbia, por volta de 22h15 (hora local). O avião teria sofrido falha técnica, e uma das causas da queda seria a falta de combustível.


Três jogadores sobreviveram

Os jogadores da equipe de Santa Catarina são os goleiros Danilo e Follmann; os laterais Gimenez, Dener, Alan Ruschel e Caramelo; os zagueiros: Marcelo, Filipe Machado, Thiego e Neto; os volantes: Josimar, Gil, Sérgio Manoel e Matheus Biteco; os meias Cleber Santana e Arthur Maia; e os atacantes: Kempes, Ananias, Lucas Gomes, Tiaguinho, Bruno Rangel e Canela.

"A polícia nacional chegou ao local (do acidente) e está mobilizando toda a ajuda possível, sendo que há seis sobreviventes", informou o aeroporto de Medellín. Entre os sobreviventes estão os goleiros Danilo e Follman e o lateral Ruschel.

Os jogadores decolaram do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, na segunda-feira e chegaram a fazer escala técnica em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, antes de seguir para seu destino. A delegação da Chapecoense teve que mudar seu plano de voo por uma decisão da autoridade da aviação brasileira, que o impediu de se ir para Medellin em um avião fretado.

Equipes de resgate tentam se aproximar do local do acidente que seria de difícil acesso. As condições climáticas ainda dificultam a chegada ao local, de acordo com as autoridades colombianas. Helicópteros da força aérea colombiana sobrevoam a área para auxiliar no trabalho de resgate.

A Aeronática da Colômbia informou que instalou um centro de controle no aeroporto de Medellín por conta do acidente.

O prefeito de Medellín disse através de seu perfil no Twitter que a prefeitura disponibilizou a rede de hospitais e enviou uma equipe do Departamente Administrativo de Gestão de Risco e Desastre ao local do acidente.

A equipe da Chapecoense disputaria a primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra Atlético Nacional, na quarta-feira, em Medellín.

A Confederação Sul-americana de Futebol, por meio de nota, confirmou que foi notificada por autoridades colombianas sobre o acidente envolvendo a aeronave que transportava a equipe da Chapecoense. No comunicado, a Conmebol lamenta o ocorrido

"A família Conmebol lamenta enormemente o ocorrido. Todas as atividades da confederação estão suspensas até um novo aviso", consta em um trecho da nota.

Ainda de acordo com o comunicado, o presidente da confederação, Alejandro Domínguez, está a caminho de Medellín.

Um vídeo publicado na página da Chapecoense em uma rede social mostra a equipe e os jogadores do time no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, momentos antes do embarque. No registro, o gerente de futebol do clube, Cadu Gaúcho, afirmou que essa seria a viagem "mais importante do clube até agora".

- A cada ano que passa a gente vai conseguindo marcar a história do clube. A gente espera que, novamente, numa final inédita sul-americana, a gente possa fazer um primeiro jogo muito bom - disse ele no vídeo.

Clube fundado em 1973, a Chape fez história ao se classificar para a decisão da Sul-Americana logo na sua segunda participação a uma competição internacional.

O 'Verdão do Oeste', que disputa a Série A do Brasileirão desde 2013, eliminou gigantes do futebol argentino, como o Independiente, recordista de títulos na Libertadores, nas oitavas de final, e o San Lorenzo, campeão continental em 2014, nas semifinais.

Veja, abaixo, a relação de quem estaria a bordo, segundo a rádio Caracol:

Delegação da Chapecoense:

Alan Ruschel (lateral): primeiro a ser resgatado, o atleta foi levado para o Hospital de La Ceral; de acordo com o Bom Dia Brasil, o jogador chegou em estado de choque e perguntando pela família. Ruschel teve múltiplas fraturas nos braços e nas pernas e também uma lesão na coluna (região lombar); ele passa por cirurgia.

Ananias Eloi Castro Monteiro (meia): o jogador de 27 anos teve passagens pelo Bahia, Portuguesa, Cruzeiro, Palmeiras e Sport.

Arthur Maia (meia): o alagoano Arthur Brasiliano Maia, de 24 anos, era jogador do Vitória emprestado à Chapecoense. LEIA MAIS

Bruno Rangel (atacante): nascido em Campos dos Goytacazes (RJ), Bruno Rangel Domingues, de 34 anos, passou por times como Paysandu e Joinville antes da Chapecoense. Maior artilheiro da história da Chapecoense, com 77 gols. LEIA MAIS

Aiton Cesar

Cleber Santana

Marcos Danilo Padilha (goleiro): foi resgatado com vida e levado ao hospital San Vicente Fundación.

Dener Assunção

Filipe Machado

Jakson Ragnar Follmann (goleiro): foi resgatado com vida e levado ao hospital San Vicente Fundación.

José Paiva

Guilherme de Souza

Everton Kempes

Lucas da Silva

Matheus Btencourt

Hélio Zampier

Sérgio Manoel Barbosa

William Thiego

Tiago da Rocha

Josimar

Marcelo Augusto

Mateus Lucena dos Santos

Luiz Carlos Saroli, o Caio Júnior (técnico): ex-jogador com passagens por Grêmio, Internacional e Paraná, dentre outros, comçou a carreira de técnico em 2000. Na função, passou por clubes como Palmeiras, Flamengo, Grêmio, Bahia, Vitória e Criciúma.

Eduardo Filho

Anderson Araújo

Anderson Martins

Marcio Koury

Rafael Gobbato

Luiz Cunha

Luiz Grohs

Sérgio de Jesus

Anderson Donizette

Andriano Bitencourt

Cleberson Fernando da Silva

Emersson Domenico

Eduardo Preuss

Mauro Stumpf

Sandro Pallaoro

Gelson Merísio

Nilson Jr.

Decio Filho

Jandir Bordignon

Gilberto Thomaz

Mauro Bello

Edir De Marco

Daví Barela Dávi

Ricardo Porto

Delfim Pádua Peixoto Filho

Profissionais de imprensa

Guilherme Marques, da Globo

Ari de Araújo Jr., da Globo

Guilherme Laars, da Globo

Giovane Klein Victória, da RBS

Bruno Mauri da Silva, da RBS

Djalma Araújo Neto, da RBS

André Podiacki, da RBS

Laion Espíndola, do Globo Esporte

Victorino Chermont, da Fox: repórter dos canais Fox Sports

Rodrigo Santana Gonçalves, da Fox:

Devair Paschoalon, o Deva Pascovicci, da Fox: narrador dos canais Fox Sports

Lilacio Pereira Jr., da Fox

Paulo Clement, da Fox

Mário Sérgio, da Fox: ex-jogador e ex-técnico de futebol, atualmente era comentarista nos canais Fox Sports.

Renan Agnolin: repórter da rádio Oeste Capital, de Chapecó

Fernando Schardong, Rádio AM

Edson Ebeliny, Rádio AM

Gelson Galiotto: narardor da rádio Super Condá, de Chapecó

Douglas Dorneles: repórter esportivo da Rádio Chapecó

Jacir Biavatti, Rádio FM

Ivan Agnoletto: da rádio rádio Super Condá, de Chapecó.

Rafael Henzel: jornalista da rádio Oeste Capital, de Chapecó, foi resgatado com vida e levado ao Hospital de La Ceja.

Tripulação

Miguel Quiroga

Ovar Goytia

Sisy Arias

Romel Vacaflores

Ximena Suarez: auxiliar de voo foi resgatada com vida e levada à clínica Somer de Rionegro.

Alex Quispe

Gustavo Encina

Erwin Tumiri: técnico da aeronave, foi resgatado com vida e levado à clínica Somer de Rionegro.

Angel Lugo


Fontes: O EXTRA e G1