Homem é preso após dá umas panadas de facão na mulher, ele ainda colocou muita pimenta na vagina dela e ficou zombando

03/08/2017

Polícia Civil concluiu o inquérito relacionado ao mototaxista Elisomar Pereira da Silva, de 31 anos, preso por torturar com um facão e colocar pimenta nas partes íntimas da mulher, de 39. O crime aconteceu em Pirenópolis, a 120 km de Goiânia. Segundo o delegado Ariel Martins, responsável pelo caso, o homem responderá por tortura mediante cárcere privado, estupro de vulnerável e usar e oferecer drogas para consumo da pessoa com quem se relaciona sem visar lucro, uma modalidade do constante no crime de tráfico.

A investigação foi finalizada e encaminhada ao Judiciário na terça-feira (1º). Segundo Martins, durante seu depoimento, Elisomar preferiu ficar em silêncio. Porém, gravações encontradas no celular dele serviram como indícios para comprovar os crimes, que somados, podem resultar em uma pena de até 28 anos em caso de condenação.

Após a prisão do mototaxista Elisomar Pereira da Silva, de 32 anos, a Polícia Civil divulgou na segunda feira 24/07 um áudio atribuído a ele em que confessa ter agredido a mulher em Pirenópolis, na região central de Goiás. Detido por tortura mediante cárcere privado, o homem havia enviado a gravação e fotos da vítima para conhecidos por meio de um aplicativo de celular após a suspeita de traição.

"Ela já tomou banho, está quietinha. Só quebrei um facão nas costas dela, pus pimenta no 'trem' dela [nas partes íntimas] e tudo. Dei uma sossegada boa nela, mas assim, já está de boa, tomou banho, nós já estamos conversando já", diz o homem na mensagem.

A vítima, de 39 anos, foi resgatada na madrugada de sábado 02/07, na casa do irmão do mototaxista, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Ela estava com hematomas por todo o corpo, um corte na coxa esquerda e lesões nas partes íntimas.

"Ela estava em choque, muito machucada, ensanguentada num quarto com o marido. Já ele estava desorientado, totalmente incapaz, sob efeito de cocaína", explicou ao G1 o delegado responsável pelo caso, o delegado Ariel Oliveira Martins.

A mulher foi levada à Santa Casa de Misericórdia e, após ser avaliada, recebeu alta médica. De acordo com o delegado, ela está na casa de familiares.